Artigo

CASA-CE perde mais um dirigente de peso

114 Visualizações

Depois do secretário executivo provincial da CASA-CE em Luanda, mais um abandono de peso regista-se na coligação liderada por Abel Chivukuvuku.

Trata-se de Francisco Viena, secretário executivo provincial da CASA-CE em Benguela, que anunciou ontem, em conferência de imprensa, a sua saída da coligação por já não se rever no rumo que a organização vive nos últimos tempos.

Segundo Francisco Viena, o mal-estar nas hostes da CASA-CE começou a ser sentido depois do Acórdão nº 497/2018 do Tribunal Constitucional, emitido na sequência do Processo nº 643-A movido, em Agosto do ano passado, pelos partidos políticos coligados.

Tal acórdão, disse, colocou o presidente da coligação em posição desvantajosa, em termos de hierarquia, comparativamente aos seus principais colaboradores.

“A coligação ficou reduzida a um grupo de pessoas com olhos postos nos meios materiais e que dizem que o patriotismo não enche barriga. Como não colaboro com este tipo de atitude, julgo bem dar por finda a minha missão dentro da CASA-CE”, declarou o então secretário executivo provincial da CASA-CE em Benguela.

Francisco Viena sublinhou que sai da coligação “por livre e espontânea vontade”, para “abraçar outros desafios na vida”, mas não revelou o que vai fazer com o seu abandono da CASA-CE. “Houve, da minha parte, uma análise minuciosa e decidi abandonar a CASA-CE. Não me revejo na caminhada política da CASA-CE”, reafirmou o político, durante o encontro com a imprensa.

O abandono de Francisco Viena surge num contexto de crise na coligação, reconhecido já por Manuel Fernandes, membro da direcção, por altura da saída do então secretário executivo provincial de Luanda da CASA-CE, Alexandre Dias dos Santos “Libertador”, que regressou ao seu antigo partido, a UNITA, de onde saiu em 2012, quando Abel Chivukuvuku fundou a coligação que dirige.

“Vivemos uma crise, mas tudo está a ser feito para que o mais rápido possível, a situação seja resolvida”, afirmou, na altura, Manuel Fernandes. Entretanto, a saída de Francisco Viena é o prenúncio de que a crise na CASA-CE é ainda um facto.

 

Fonte: Jornal de Angola

Deixe uma resposta