Artigo

“Chivukuvuku pensa que é o único político intelectual e todos devem andar atrás dele”

102 Visualizações

O terceiro maior partido angolano, a CASA-CE, está atravessar uma crise interna que leva alguns a pensarem que a coligação poderá estar à beira da ruína.

Mas membros da CASA dizem que isso não vai acontecer, embora um deputado independente eleito pelas listas da organização afirme que só “dificilmente” se poderá ultrapassar a crise.

A crise interna que foi despoletada pela iniciativa de um grupo de independentes dentro da coligação que queriam formar um novo partido dentro da organização.

Inicialmente o presidente da CASA, Abel Chivukuvuku, apoiou essa iniciativa que acabou por ser rejeitada pelos tribunais aventando-se a possibilidade agora de alguns membros abandonarem a coligação.

O Tribunal Constitucional decidiu ainda que o presidente da coligação é um mero coordenador, que deve obedecer às decisões dos partidos coligados.

Recentemente foi anunciado que um dos formadores da CASA, Lindo Bernardo Tito, está afastado das actividades da coligação limitando-se a fazer o seu trabalho de deputado na assembleia.

Alexandre Sebastião André, um dos integrantes dos partidos políticos dentro da coligação e actual presidente da CASA-CE em exercício, assegurou à VOA que a crise foi ultrapassada e estão enganados os que pensam que a CASA-CE vai ruir: “Jamais A CASA vai ruir e até sinto arrepios ao ouvir isso”, disse.

“A CASA-CE tem alicerces firmes e quero assegurar que a CASA-CE não vai acabar”, acrescentou.

Cesinanda Xavier independente dentro da coligação e actual porta-voz da CASA-CE faz eco dessa opinião afirmando que a organização “vai provar ao eleitorado que estamos para ficar e vencer”.

Quanto a uma eventual saída de Abel Chivukuvuku na presidência da CASA-CE a porta-voz da coligação assegura que não vai acontecer.

“O presidente Abel Chivukuvuku nunca deixou transparecer isso, ele vai continuar e sabem que ele é uma pessoa firme e vertical e de palavra e se ele diz que vai continuar é porque vai continuar porque ninguém cria uma organização para depois a abandonar”, acrescentou.

Mas Makuta Nkondo, deputado independente pelo grupo da CASA-CE, pensa diferente. Disse não acreditar que as medidas tomadas para se resolver a crise interna venham solucionar essa crise.

“Tudo que eles fazem é paliativo, não vai resultar”, disse.

“A CASA-CE vive um momento turbulento, a situação na CASA é dramática, de agonia e dificilmente a CASA vai sobreviver a esta crise”, acrescentou.

Nkondo criticou asperamente o presidente Abel Chivukuvuku afirmando que embora seja um bom político é também ”arrogante”.

Chivukuvuku pensa que “é o único político intelectual e todos devem andar atrás dele”, disse o deputado.

 

Fonte: VOA

Deixe uma resposta