Artigo

Cisão pública entre Lourenço e dos Santos vai afectar o MPLA – analista

43 Visualizações

A desavença pública entre o presidente João Lourenço e o seu predecessor Eduardo dos Santos vai afectar o funcionamento “saudável” do MPLA e é uma “desonra” do estado, consideraram dois analistas angolanos.

A cisão entre o presidente de angola João Lourenço e o seu predecessor José Eduardo dos Santos veio ontem subitamente a público devido a diferendos sobre a deslocação de Eduardo dos Santos a Espanha onde regularmente recebe cuidados médicos.

Segundo uma nota da presidência dos Santos recusou-se a voar numa aeronave compatível com o seu estatuto e mesmo num avião da companhia estatal TAAG preferindo partir num avião comercial das linhas áreas portuguesas TAP.

O presidente João Lourenço deslocou se ele mesmo a casa de Eduardo dos Santos para o tentar dissuadir da sua posição mas sem sucesso.

Walter Ferreira, consultor jurídico e coordenador da Plataforma para a Cidadania, disse que “esta situação cria muitas dificuldades para os militantes e dirigentes do MPLA para uma relação partidária saudável”.

Ferreira considerou que Eduardo dos Santos “goza de muita simpatia por parte de muitos militantes e dirigentes que algumas vezes parece estarem a condicionar as políticas do actual presidente”.

“Isto só dificulta aquilo que é a imagem do partido”, acrescentou.

O analista Rui Kandove disse existir um “mau clima” entre os dois. Kanodve recordou a prisão do filho do ex presidente e ainda o facto da sua filha não regressar a Angola por receio de ser presa, acrescentando que por isso “ Eduardo dos Santos tem todas as razões em não se sentir confortável com a situação”.

No que diz respeito ao incidente sobre a sua deslocação a Espanha, o analista disse ser sua opinião que “ o presidente Eduardo dos Santo desonrou as estruturas do estado”.

“João Lourenço também não honrou muito o estado tendo feito um papel de relações públicas”, acrescentou.

“Não se entende porque é que ele foi atrás de Eduardo dos Santos”, disse em referencia á visita que o presidente efectuou á residência de Eduardo dos Santos para o convencer a não viajar num avião de carreira comercial.

Para Kaondove esse papel de relações púbicas “não teve sucesso porque não o conseguiu convencer”.

Até ao momento desco ehcese as razões que Eduardo dos Santos terá apresentado para se recuar a voar numa “aeronave compatível com o seu estatuto” ou mesmo a viajar na TAAG

 

Fonte: Angonotícias

Deixe uma resposta