Artigo

Comboios retomam os serviços mínimos

74 Visualizações

Os trabalhadores do Caminho-de-Ferro de Luanda retomaram ontem os serviços mínimos e hoje aguarda-se pela decisão final das negociações entre a comissão sindical e o Conselho de Administração para que os comboios voltem a circular sem restrições, em todo o seu itinerário.

O porta-voz do sindicato dos trabalhadores do CFL explicou ao Jornal de Angola que a decisão, para o funcionamento dos comboios na totalidade, não foi possível ser tomada ontem porque detectaram “um erro na declaração do acordo” firmado, na quarta-feira, entre as duas partes.

Lourenço Contreiras disse existir grande possibilidade da greve ser levantada hoje, porque a declaração já foi corrigida e só depois da reunião, com o núcleo dos trabalhadores, prevista para hoje, será comunicada a decisão final. “Os serviços mínimos já começaram, por isso há possibilidade da greve ser suspensa”.

O porta-voz do CFL, Augusto Osório, confirmou o levantamento da greve para hoje, depois de um acordo entre as partes decidir um aumento faseado dos salários de forma a estimular a produtividade da empresa.

De acordo com Augusto Osório, depois de três meses de actividade será feita uma nova avaliação da situação financeira da empresa para a tomada de outras decisões.
“A comissão negociadora dos trabalhadores do CFL concordou com a proposta do Conselho de Administração da empresa e, nesta altura, os sindicalistas vão reunir os filiados em assembleia, para informar sobre as decisões tomadas”, disse Augusto Osório.

A greve do CFL teve início a 14 deste mês, e as negociações geraram um braço de ferro, devido à exigência dos trabalhadores dum aumento salarial de 80 por cento, de acordo com o caderno reivindicativo de 19 pontos, dos quais apenas a revisão (aumento salarial) não foi satisfeita pelo Conselho de Administração da empresa.

No tocante às condições laborais, o Ministério dos Transportes concordou com a atribuição de rádios de comunicação, reabilitação das guaritas das passagens de níveis, implementação do sistema de higiene e segurança no trabalho, melhoria das condições médicas e medicamentosas no posto médico.

Está também garantido o seguro contra acidentes de trabalho e doenças profissionais, pagamento em tempo oportuno do subsídio de funeral, melhoria no subsídio de alimentação e de isolamento.

Os trabalhadores do CFL vão passar também a receber pagamentos de horas extras, prémio de percurso na ordem de 50 kwanzas por quilómetro e atribuição de uma viatura para distribuição e apoio do pessoal da tripulação.

 

Fonte: Jornal O País

Deixe uma resposta