Artigo

Descoberto poço de petróleo com 250 milhões de barris

120 Visualizações

Um poço de petróleo com reservas de entre 150 e 250 milhões de barris foi descoberto em águas profundas do Bloco 15/06, anunciaram ontem a Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG) e a italiana ENI.

O poço que levou à descoberta foi perfurado no prospecto de exploração Ndungu, localizado a cerca de 130 quilómetros da costa, uns dez quilómetros a nordeste da Unidade Flutuante de Produção e Armazenamento (FPSO) de N’goma e a dois do campo de produção de Mpungi. Foi perfurado pelo navio-sonda “Poseidon” à profundidade de 1.076 metros, dando a indicação de uma capacidade de produção para o fluxo do poço de mais de dez mil barris de petróleo por dia.

A ANPG considera que o poço Ndungu representa a primeira importante descoberta de petróleo feita em Angola dentro de uma área de desenvolvimento já existente e confirma a importância da recente oportunidade dada pelo Decreto Legislativo Presidencial Nº 5/18, de 18 de Maio. O decreto estabelece o regime jurídico sobre as actividades de pesquisa dentro das áreas de desenvolvimento, dando suporte legal à estratégia de exploração dos campos marginais, uma alternativa à ocorrência de novas áreas de desenvolvimento.

4 mil milhões de barris

Em Março, na apresentação da estratégia da empresa para o próximo triénio, o presidente executivo da ENI, Claudio Descalzi, considerou Angola “um grande exemplo do modelo de exploração e de aplicação da tecnologia”, anunciando a entrada em produção dos poços Kalima e Afoxé dentro de três anos. “O Bloco 15/06 é um grande exemplo do nosso modelo de exploração.

Até agora perfurámos 21 poços com uma taxa de sucesso de 86 por cento, descobrindo mais de quatro mil milhões de barris com uma produção de mais de 150 mil barris por dia”, disse o presidente executivo da petrolífera italiana. “Nos últimos meses, fizemos três grandes descobertas de óleo leve. Em Kalima e Afoxé estimamos ter 400 a 500 milhões de barris e há algumas semanas descobrimos um novo gigante em Angola, que pode conter até 650 milhões de barris”, disse em Março o líder da petrolífera. “Vamos acelerar o desenvolvimento destes novos poços, usando as instalações actuais”, acrescentou Claudio Descalzi, na parte da intervenção que incidiu sobre Angola.

O campo Kalimba foi descoberto em Junho do ano passado a sudeste do Bloco 15/06 e pode ter até 300 milhões de barris de óleo leve, ao passo que o Afoxé foi descoberto já em Dezembro, na mesma zona, e pode ascender até 200 milhões de barris.

A nível mundial, a petrolífera italiana espera aumentar anualmente a produção em 3,5 por cento durante os próximos três anos, apontando como meta a neutralidade das emissões de carbono resultante das suas actividades até 2030.

 

Fonte: Jornal de Angola

Deixe uma resposta