Artigo

Dívida corporativa: uma forma complementar de financiamento

266 Visualizações

O mercado de capitais precisa de “estabilidade”, para os seus intervenientes definirem estratégias de actuação e lançarem instrumentos mais maduros e sofisticados, defende Ottoniel Santos, administrador executivo da Comissão do Mercado de Capitais (CMC).

Segundo o responsável do pelouro da Promoção na CMC, os principais desafios do sector derivam do contexto macroeconómico. “É preciso estabilidade, para que os agentes consigam perceber as oportunidades que o mercado pode oferecer e definam políticas e estratégias de actuação”, diz.

Ottoniel Santos, que falava em Luanda, no fim da semana passada, à margem de um workshop sobre mercado de capitais promovido pela International Finance Corporation (IFC) em parceria com a CMC, Banco Nacional de Angola (BNA), Bolsa de Dívida e Valores de Angola (BODIVA) e Ministério das Finanças, do lado da regulação e da e infra-estrutura tecnológica “as condições estão criadas para que a negociação seja uma certeza”.

O evento contou com a presença de especialistas dos principais mercados de capitais nacionais e internacionais, assim como investidores externos e instituições de financiamento para o desenvolvimento, e nele foi debatido o actual estado dos mercados de capitais e financeiro em Angola.

O administrador do regulador do mercado de valores mobiliários lembrou que está previsto para breve o lançamento dos segmentos de obrigações corporativas e de acções, e elegeu como outro dos desafios do mercado a educação financeira de todos os intervenientes.

 

Fonte: Jornal Mercado

Deixe uma resposta