Artigo

Mintrans pondera substituir grevistas do CFL

73 Visualizações

O Ministério dos Transportes (Minstrans) informou, nesta terça-feira, que solicitou ao Executivo Angolano uma requisição civil, ao abrigo da Lei de Greve (23/91 de 15 de Junho), para substituir os trabalhadores grevistas do Caminho de Ferro de Luanda (CFL).

Segundo o Minstrans, o Executivo poderá determinar a requisição civil, em caso de justificado interesse nacional e a título excepcional, visando a substituição dos trabalhadores em greve, que reclamam, entras outras medidas, um aumento salarial na ordem de 80 por cento.

As medidas estão a ser tomadas em coordenação com o Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social e o órgão de defesa e segurança nacional, para assegurar a tranquilidade e normalizar a circulação ferroviária do CFL o mais rápido possível.

A propósito da paralisação, o ministério e o conselho de administração do CFL lamentam o facto de não se ter alcançado o entendimento necessário para o levantamento da greve geral, decretada unilateralmente, no passado dia 08 de Janeiro, pelos trabalhadores afectos ao Sindicato Independente dos Ferroviários de Angola (SIFA).

Os grevistas observam uma paralisação dos serviços com base num caderno reivindicativo que inclui a melhoria das condições de trabalho, revisão da tabela salarial, actualização das categorias laborais e o aumento dos salários na ordem de 80 por cento.

A entidade empregadora concordou com 18 dos 19 pontos do caderno reivindicativo dos trabalhadores. A única excepção diz respeito à pretensão de se aumentar os salários em 80 por cento. A empresa alega não dispor de recursos para satisfazer essa exigência.

 

Fonte: Jornal O Mercado

Deixe uma resposta