Artigo

Portugueses residentes em Angola queixam-se de dificuldades em votar

55 Visualizações

Vários portugueses residentes em Angola queixam-se de estar a ser impedidos de votar, por falta de informação sobre as novas regras do recenseamento automático e dificuldades em receber o boletim de voto.

Devido às alterações ao regime jurídico do recenseamento eleitoral, os cidadãos portugueses residentes no estrangeiro passaram a ser inscritos de formas automática no recenseamento eleitoral português, com base na morada constante do Cartão de Cidadão, podendo optar entre o voto presencial ou por via postal.

Mas quem não manifestou a sua preferência até ao dia 01 de Agosto (data da marcação das eleições) só o poderá fazer agora por via postal.

Em declarações à Lusa, Alberto Lopes, um português residente em Luanda há cerca de dez anos, questionou a opção do voto postal ser assumida “por defeito”, queixando-se da falta de informação sobre o assunto e disse que esta decisão não teve em conta as realidades locais, onde os correios “nem sempre funcionam”.

Alberto Lopes considera que, se para pedir o Cartão de Cidadão são exigidos o número de telefone e o email, os cidadãos deveriam ser informados sobre as alterações legislativas por esta via.

“Acho muito bem que se evolua para outras alternativas de voto, o que acho estranho é que na ausência de resposta assumam, por defeito, a opção do voto por correspondência”, criticou.

Fonte: Angonotícias

Deixe uma resposta