Artigo

Sonangol e Eni anunciam grande descoberta de petróleo no bloco 15/06

73 Visualizações

Luanda – A Sonangol e a Eni anunciaram hoje a realização de nova descoberta de petróleo no bloco 15/06 na Bacia Marítima do Baixo Congo, com a perfuração do poço de pesquisa Agogo-1 ST1, com reservas estimadas entre 450 e 650 milhões de barris.

Os dados adquiridos durante a perfuração indicam um volume original de recursos estimados num intervalo de 450 a 650 milhões de barris de petróleo, prevendo-se uma capacidade de produção de mais de 20 mil barris de petróleo/dia, segundo uma nota de imprensa da Sonangol enviada à Angop.

O poço de pesquisa Agogo-1 ST1 (anteriormente designado por Prospecto W6) é a terceira descoberta da Extensão da Fase Subsequente de Exploração no Bloco 15/06, perfurado pelo navio sonda Poseidon, numa lâmina de água de mil e 636 metros e atingiu a profundidade final de quatro mil e 450 metros, tendo encontrado um reservatório com excelentes propriedades petrofísicas.

A avaliação petrofísica preliminar dos reservatórios identificados confirma a presença de uma única coluna de cerca de 120 metros impregnados de petróleo leve (30º API).

De realçar que esta descoberta comercial surge no âmbito da campanha de exploração do consórcio do Bloco 15/06, lançada em 2018, seguida das já anunciadas descobertas dos poços Kalimba-1 e Afoxé-1ST#1.

Localizado a aproximadamente 180 quilómetros da costa da Província do Zaire e a cerca de 20 quilómetros do FPSO Ngoma, o Bloco 15/06 tem como grupo empreiteiro a Eni, como Operadora, com uma participação de 36,8421%, a Sonangol P&P com 36,8421% e a SSI Fifteen Limited com 26,3158%.

Angola é um país importante na estratégia de crescimento orgânico da Eni. A Empresa tem estado presente no País desde 1980 e conta actualmente com uma cota produção de cerca de 155 mil barris de petróleo equivalente por dia.

O Bloco 15/06 conta com duas FPSOs em operação (N’Goma no Pólo Oeste e Olombendo no Pólo Este) que produzem actualmente cerca de 160 mil barris de petróleo por dia.

A Eni é também operadora do Bloco Cabinda Norte, localizado no onshore  angolano.

Angola é o segundo maior produtor da África Subsahriana, depois da Nigéria (1,7 milhões), com uma produção estimada em 1,5 milhões de barris/dia.

Medidas de políticas foram adoptadas em 2018 pelo Executivo para travar o declínio natural que se verifica no sector, que já chegou a produzir 1,8 milhões de barris/dia.

 

Fonte: Angop

Deixe uma resposta