Artigo

Turismo prevê melhor rentabilidade de restaurantes na Ilha

94 Visualizações

Luanda – O Ministério do Turismo vai, nos próximos dias, encetar encontros com diferentes parceiros que influenciam no custo final dos produtos praticados pelos restaurantes na Ilha do Cabo, em Luanda, visando elevar o fluxo de clientes e minorar reclamações sobre os preços altos.

À margem de uma jornada de campo que a ministra do Turismo, Ângela Bragança realizou a dez restaurantes da Ilha do Cabo, fez saber que, o seu Ministério prevê avaliar as questões de formas a que haja harmonia das acções entre as diferentes áreas, para que os investimentos e o turismo possam fluir.

Ângela Bragança recebeu dos seus gestores, reclamações sobre as operações policiais que têm provocado uma redução significativa dos clientes nocturnos, o deficiente saneamento básico, água potável e energia eléctrica, cujos custos por unidade, em termos de limpeza, são elevados, o que depois é imputado ao cliente.

“São gastos dezenas de milhares de litros de água por dia, para abastecer em cisternas, onerando assim as despesas dos clientes”, referiu a dirigente

Outra preocupação tem a ver com a presença de jovens que supostamente apoiam o parqueamento, mas que constituem um risco para os clientes por causa dos assaltos e intimidações.

“Achamos que ter uma Ilha dinâmica e alegre é o que queremos para o turismo, primando por excelência, nos seus serviços de atendimento aos turistas”, disse Ângela Bragança

Na próxima sexta-feira, a ministra vai reunir-se com todos os responsáveis hoteleiros e da área de restauração, para aferir as suas preocupações e encontrar formas viáveis de serem ultrapassadas.

Os restaurantes da Ilha de Luanda são frequentados maioritariamente por cidadãos expatriados.

Relativamente a floresta da Ilha informou que vai se analisar com o Governo Provincial, Ministério do Ambiente e outros sectores, para dar-se dignidade ao espaço, que pode ajudar a promover o turismo social, o lazer e permitir que seja um pulmão para a cidade.

Na altura, na presença do governador provincial, Sérgio Rescova, vice-governadores e administrador da Ingombota, foi apresentado um programa preliminar com o conceito de floresta.

 

Fonte: Angop

Deixe uma resposta