Artigo

UNICEF centra acção no fim de abusos contra criança

135 Visualizações

Luanda – O representante do Fundo das Nações Unidas para Infância (UNICEF) em Angola, Abubacar Sultan, declarou, esta quarta-feira, em Luanda, que o organismo está focado na erradicação dos abusos contra as crianças e no apoio ao programa do Executivo angolano de combate à pobreza.


Em declarações à imprensa, à saída de um encontro com o presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos, Abubacar Sultan indicou que o UNICEF trabalha de forma abrangente com os seus parceiros, tendo em vista a salvaguarda dos direitos dos petizes.

Segundo o responsável, para se evitar a instrumentalização das crianças, muitas vezes perpetrada pelos seus próprios progenitores, é necessário assegurar o cumprimento dos seus direitos, nomeadamente, o acesso à educação e saúde.

“Estamos mandatados pela Assembleia Geral das Nações Unidas a trabalhar, não só, na questão do tráfico de menores, mas também na promoção e protecção dos direitos das crianças, observou Abubacar Sultan.

Em fim de missão em Angola, Abubacar Sultan, de nacionalidade moçambicana, declarou que durante três anos e meio no país trabalhou de forma transparente e articulada com os parceiros do UNICEF, para a prossecução dos interesses das crianças.

Fez saber que o UNICEF é uma instituição que trabalha de forma transversal e multilateral em todos os domínios de intervenção da criança, desde a saúde, educação, justiça, água e saneamento, bem como ambiente, prestando, também, assistência humanitária em situações de emergência.

Abubacar Sultan, nomeado representante residente para Angola a 17 de Março de 2016, considerou positivo o trabalho desenvolvido no país.

“Trabalhamos com os nossos parceiros no sentido de ajudar o Executivo a atingir os objectivos preconizadas no Plano de Desenvolvimento Nacional 2018-2022, a fim de dar resposta aos grandes desafios na área da infância”, finalizou.

Em Angola desde 1976, o UNICEF tem a missão de apoiar o país a tornar-se num lugar seguro, saudável e protector para o crescimento e desenvolvimento da criança.

O Fundo das Nações Unidas para Infância trabalha com o Governo angolano no sentido de fortalecer e apoiar as leis, as estratégias e os orçamentos favoráveis à criança, tendo como primeiro marco a subscrição, em 1990, de dois documentos chaves como a Declaração Universal sobre a Sobrevivência e a Protecção e o Desenvolvimento da Criança.

Há 30 anos, líderes mundiais assumiram um compromisso histórico com as crianças do mundo ao adoptarem a convenção sobre os Direitos da Criança, um acordo internacional sobre a infância.

Tornou-se no tratado de direitos humanos mais ratificado da história e ajudou a transformar a vida das crianças em todo o mundo. Angola ratificou a Convenção em Dezembro de 1990.

Fonte: Angop

Deixe uma resposta