Artigo

Vietname alarga cooperação com Angola

326 Visualizações

O embaixador do Vietname em Angola, Nguyen Manh Cuong, informou, nesta sexta-feira, em Luanda, que o seu país pretende alargar a cooperação bilateral com Angola, nos domínios da agricultura e das telecomunicações.

O diplomata falava à imprensa, à margem de um encontro com o Presidente da República, João Lourenço, com quem analisou questões ligadas ao desenvolvimento da cooperação.

Actualmente, Angola coopera nas áreas de educação, saúde, construção e produção de equipamentos com o Vietname, com quem mantém relações desde 12 de Novembro de 1975.

A audiência serviu para Nguyen Manh Cuong despedir-se do Chefe de Estado angolano, após cumprir três anos como embaixador do Vietname em Angola.

Ainda nesta sexta-feira, o Chefe de Estado angolano, João Lourenço, abordou com o embaixador Mauritano, Hamadi Sid Ahmed El Dekaye, questões de interesse comum, com realce para a situação dos nacionais daquele país residentes em Angola.

O número de mauritanos residentes em Angola ronda os cinco mil, grande parte deles comerciantes.

De igual modo, o Presidente João Lourenço recebeu o enviado especial do secretário-geral das Nações Unidas para a Região dos Grandes Lagos, o diplomata belga Renier Nijfkenk.

No final do encontro, Renier Nijfkenk não prestou declarações à imprensa.

Entretanto, a Angop apurou que o enviado especial para a Região dos Grandes Lagos deixa hoje (sexta-feira) Luanda, com destino a Brazzaville, República do Congo, a fim de encontrar-se com o Chefe de Estado Congolês, Dennis Sassou Nguesso.

A República do Congo, por via do Presidente Dennis Sassou Nguesso, ocupa a presidência da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos (CIRGL).

Criada em 1994, esta organização íntegra, além de Angola, o Burundi, República Centro-Africana (RCA), República do Congo, República Democrática do Congo (RDCongo), Quénia, Uganda, Rwanda, Sudão, Sudão do Sul, Tanzânia e Zâmbia.

A organização regional tem como missão resolver as questões de paz, segurança e humanitária, entre os estados membros.

 

Fonte: Angop

Deixe uma resposta