Artigo

Deputados do MPLA querem solução para problemas da Educação na Huíla

68 Visualizações

Os deputados do MPLA pelo círculo da província angolana da Huíla dizem estar preocupados com algumas questões que afectam o andamento da educação que neste momento se prendem fundamentalmente com o regime do tempo de serviço, a monodocência e os cargos de direcção e chefia.

Depois de ver ultrapassada no início do corrnte ano a questão da transição de estatuto dos professores do Ensino Geral por via do reconhecimento do grau académico, o Sindicato Nacional de Professores, (SINPROF) elegeupara 2019 pressionar o Governo a reconhecer o tempo de serviço.

Num encontro com os responsáveis da Educação na Huíla, os deputados questionaram o que está a ser feito neste sentido.

“Era para nós interessante perceber que passos têm sido dados relativamente a esta questão que de alguma maneira divide a própria classe e se tem influência no nível de prestação”, perguntou Fernando Cativa.

A directora do gabinete provincial da educação da Huíla, Paula Joaquim, acredita que o regime de contagem do tempo de serviço esteja a ser acautelado pelo Governo central.

“Os professores têm que transitar todos automaticamente para os escalões de acordo com as suas habilitações e depois de termos esta situação toda resolvida aí o Ministério junto ao Ministério das Finanças e junto ao Maptss vão começar a abrir vagas para enquadrar os professores de acordo com o tempo de serviço”, explicou Joaquim.

O economista José Makuva vê a questão do regime do tempo de serviço no ensino geral exequível apenas mediante a avaliação do desempenho que dá lugar a progressão na carreira.

“Hoje qualquer trabalhador tem direito de progredir dentro da carreira. O professor do oitavo escalão depois vai para o sétimo vai ao sexto até chegar ao primeiro, isto é um direito. Aliás o Estado durante muito tempo negligenciou esta parte e não eram só os professore quase todos os funcionários, mas de algum tempo a esta parte na administração pública já tem havido estas promoções”, disse Makuva.

Fonte: Voa

Deixe uma resposta